segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

477 - Oficina de escrita criativa

Há uns dias atrás tive o prazer de participar numa oficina de escrita criativa. A partir de um poema de Olinda Beja (de Cabo Verde) produzi o texto abaixo. Não é que esteja grande coisa, mas dado o tempo que se teve para o exercício é o texto possível.

No entanto interessa-me neste post valorizar a ideia que há coisas tão simples de conceber e de aplicar que não percebo qual  o motivo para as bibliotecas não investirem nelas...

Eis o poema que serviu de mote:

Quem somos?
O mar chama por nós, somos ilhéus!
Trazemos nas mãos sal e espuma
cantamos nas canoas
Dançamos na bruma.

(...)

Somos a mestiçagem de um deus que quis mostrar
Ao universo a nossa cor tisnada
Resistimos à voragem do tempo
Aos apelos do nada.

(Olinda Beja, 2009)

Segue o meu texto feito a partir do mote dado

Quem somos?
Definitivamente ilhéus, mesmo que vivamos na grande cidade.
Ilhéus, únicos, irrepetíveis...
Onde nos situamos on meio da multidão?

No entanto...
A nossa identidade empurra-nos para o outro, para o mar
Somos filhos do sal e da espuma
Somos feitos da memória de muitos outros
das canoas que em nós vieram aportar.

 Quen os fez dançar?
Quem nos fez cantar?
O mestiço que há em nós
a herança de tantos outors, tantos sangues,
tantos tu


Quem somos?
Uma memória de um passado,
uma projeção para o futuro,
uma canoa que chega e que parte
uma canção feita para o outro.

Fragéis como a espuma,
um sopro.

...
Resistiremos!
Ilheus e citadinos.
Resistiremos
Pertencemos-nos
Quem somos?

João P.
Fev 2015

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

476 - Numa biblioteca perto de si...

Enquanto aguardava por uma reunião agendada numa escola secundária, resolvi entrar na Biblioteca Escolar a fim de otimizar o meu tempo. Enquanto trabalhava, não pude deixar de escutar uma conversa entre duas alunas que estavam num computador a atualizar o seu blogue.
Dizia uma para a outra: Qual a razão pela qual estás a escrever Estados Unidos da América? bastava escreveres "Estados Unidos". toda a gente sabe que é: "da América".
Não pude deixar de intervir e expliquei que o Brasil também são estados Unidos e que há muitos outros países que são "Estados Unidos". A própria União Europeia, daqui a uns anos será conhecida como Estados Unidos.
A rapariga fez uma ar espantado e gostou da explicação.
É por isso que uma Biblioteca e um bibliotecário fazem muita falta. É por estas e por outras que eu digo que o essencial das bibliotecas não são os livros....

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

475 - O que a google já sabe sobre ti. Pensa um pouco...

Começo por uma declaração de intenções:
- Não sou daqueles que está sempre a ver mal/perigos em tudo e neste particular, na Internet,
- Sou adepto das potencialidades das redes sociais para a educação.

Posto isto, não deixo de deixar de pensar sobre o texto que publico abaixo. De facto, a Google já sabe muito sobre cada um de nós: onde vamos,  o que pesquisamos, o que lemos, as nossas rotinas e gostos.
Isso é mau? sim, creio que sim, pois a google é uma empresa e pode vender dados sobre cada um dos utilizadores e nem sei se não vende já, pois não é raro receber mails personalizados relativos a interesses que tenho.

Talvez seja importante mudar um pouco de atitude e não estar sempre ligado à Google ao fazer pesquisas, ou com o GPS ligado quando se tiram fotografias se isso não é relevante. São pequenas coisas que podem significar muito numa época em que o nosso rasto digital fica para sempre

Ah, a propósito, vale a pena fazer formação de utilizadores no relativo a este assunto.    
   

How Much Does Google Really Know About You? #infographicYou can also find more infographics at Visualistan